Racismo e valorização da cultura afro-brasileira serão debatidas na Semana da Consciência Negra

Dia da Consciência NegraO racismo tem sido um grande problema no mundo. A cada dia surgem novas situações de discriminação pela cor da pele no ambiente de trabalho, esporte e mais frequentemente nas redes sociais. Um comportamento inadmissível e tipificado como crime em várias legislações, dentre elas a brasileira. Para abordar o racismo e formas de combatê-lo, valorizar a cultura afro-brasileira e religiões de matriz africana, a UFOB promoverá uma extensa programação na Semana da Consciência Negra nos campi de Barra, Barreiras e Luís Eduardo Magalhães

Em LEM, a programação acontecerá no dia 20/11, a partir das 8h, com exposição de fotos e frases “Identidade negra”, seguida de palestra sobre  “Ranços do fetiche da democracia racial: a violência racista como um mal silenciado na sociedade brasileira”, que será ministrada por Ari Fernandes, pedagogo da UFOB. Às 10h, ocorrerá a mesa-redonda “O preconceito por quem sente na pele”, com os estudantes  Venâncio Ndunduma e Natascha Cruz, do curso de Engenharia de Produção, Yngrid Barbosa, do curso de Matemática, Ilana Rocha, do curso de Ciências Biológicas, e Maria Letícia Bonfim, do curso de BI em Humanidades, (clique para conferir a programação).

À tarde, às 13h30, será exibido o filme “Besouro Mangangá”. Na sequência, o Mestre Lagarto, Odirlan Gomes, do Grupo de Ordem Brasileira de Desenvolvimento da Capoeira, participará de um debate e apresentará uma roda de capoeira. O evento será encerrado às 16h30, com a professora de dança Amanda Batista, que ministrará uma oficina de dança afro. As atividades realizadas no “Dia da Consciência Negra 2019: Reflexões para a construção de uma consciência crítica” são coordenadas pela professora Maria Felícia Mota.

O evento é gratuito e aberto a todos.

Topo